SPFWN43 – DESFILES QUE ASSISTI

Oi, Gentee…

Hoje vou contar para vocês um pouco de cada desfile que tive a oportunidade de assistir nesse SPFW. É sempre um prazer poder conferir os desfiles ao vivo e participar da semana de moda brasileira. Nessa temporada pude ver os desfiles da GIG Couture, PatBo, Isabela Capeto, Fabiana Milazzo, Ellus 2nd Floor, A La Garçone, Apartamento 03, Cotton Project, Alexandrine, Juliana Jabour e LAB. Confiram:

desfile-spfwn43-1

O primeiro desfile que assisti nessa semana de moda foi o da grife mineira GIG Couture que é conhecida pelo seu trabalho em tricô. A estilista Gina Guerra trouxe uma moda street e retrô para o Inverno 2017. Na passarela vimos muito brilho, babados, plissados e cintura marcada. A cartela de cores é formada pelo preto ônix, mix de preto com dourado e preto com prata, verde militar e terracota. As tramas dos tricôs formam listras, desenhos florais, animais, camuflados e um rendado geométrico. Esses foram os meus 3 looks favoritos!

desfile-spfwn43-2

Essas foram as minhas produções favoritas no desfile da PatBo. Com forte influência do estilo urbano e esportivo, a estilista Patricia Bonaldi renovou a marca com moletons, veludo, tricô, tecidos telados, jaquetas bomber e parkas. Os destaques foram os bonés, as transparências e as peças com pinturas inspiradas em Basquiat com explosão de cores e um shape mais solto e esportivo.

desfile-spfwn43-3

Inspirada no Cariri Cearense, Isabela Capeto criou uma coleção feminina, alegre e fluida. Muitos babados, mangas bufantes, cintura marcada, crochês, camuflados estilizados, poás, florais e mix de estampas. Entre as peças-chave da coleção estão jaquetas, camisetões, vestidos longos e saias em algodão, tules, couro e seda. Na cartela de cores a estilista apostou em vermelhos, rosa claro, café, marinho e preto para destacar a diversidade e riqueza do Cariri Cearense.

desfile-spfwn43-4

A coleção de estreia no SPFW de Fabiana Milazzo homenageia o Brasil. Peças com a riqueza do nosso trabalho artesanal, elementos da fauna e flora e paisagens amazônicas misturados a símbolos icônicos das cidades brasileiras. Vale destacar que para as peças feitas à mão, Fabiana se uniu a ONGs que investem no trabalho de artesãos. O jeans também apareceu forte na passarela e, na cartela de cores o off white foi usado como base para as estampas e bordados com toques metalizados, além do azul intenso e tons de vermelho.

desfile-spfwn43-5

Novamente a Ellus 2nd Floor se inspirou no universo dos quadrinhos para criar sua coleção. A marca aproveitou o tema atual do empoderamento feminino para criar sua versão contemporânea da Mulher Maravilha. A personagem surgiu na 2ª Guerra Mundial e sua origem militar orientou a coleção. Na passarela elementos utilitários, bolsos e patches militares, em peças de sarja e moletom com pegada sport e street. As estampas seguiram esse tema e foram desenhadas a partir do motivo de camuflagem, tanto literalmente, quanto de maneira lúdica com Pégaso, bocas e estrelas. Vale destacar as bolsas divertidas que roubaram a cena no desfile.

desfile-spfwn43-6

A La Garçone, a marca de Fabio Souza e Herchcovitch, que completa um ano, apresentou uma coleção nada conservadora inspirada em elementos do movimento punk, boxe e fetiches. A transparência foi um dos elementos mais explorados pela marca, e na composição dos looks, muito nylon, renda, tecidos telados e metalizados.

desfile-spfwn43-7

O ponto de partida para o outono/inverno 2017 da grife Apartamento 03 é o livro Visconde Partido ao Meio, de Ítalo Calvino. A ideia de “incompleto” persegue o estilista nesta temporada. Esse pensamento é colocado em prática na construção das peças e estampas da coleção, onde o pesado e leve, tecidos naturais e sintéticos se misturam. Destaque para as transparências e o veludo que são dois itens recorrentes de outros desfiles.

desfile-spfwn43-8

R.I.P. – RELAX IS PRIORITY – Esse foi o conceito do desfile da marca Cotton Project na SPFWN43. Como as pessoas irão se vestir quando o momento de relaxamento voltado para si mesmo tiver um papel fundamental na sociedade? As apostas são super confortáveis com peças oversized e uma alfaiataria casual e esportiva. Os tecidos de destaque são os veludos molhado e cotelê, algodão orgânico feito em tear manual e pelúcia sintética. A cartela de cores é formada de tons de marrom ao bege, rosa, verde e laranja. Além dos neutros preto, marinho e cinza. Amei as peças em pelúcia: casacos e flat mule!

desfile-spfwn43-9

Fiquei completamente apaixonada pelo desfile da Alexandrine, estreante neste SPFW. A marca é um encontro de duas pessoas apaixonadas por moda, a empresária portuguesa Alexandra Fructuoso e Dinho Batista que deu aula de passarela para tops como Michelle Alves, Fernanda Tavares e Carol Ribeiro, mas sempre quis ser estilista. A coleção é inspirada em memórias de Dinho e artesanalmente construída em tramas de fitas de cetim e gorgorão e em diferentes padrões. São vestidos de festa e peças de alfaiataria em off white, verde, cinza e preto. Um desfile feminino, clássico e sofisticado, usaria facilmente todas as peças!

desfile-spfwn43-10

A coleção de outono/inverno 2017 da marca Juliana Jabour é inspirada no universo do motocross. O tema aparece na cartela de cores, nas estampas com fogos, estrelas, listras, grafismos, números e letras arrojadas. Logo, a coleção une esporte, street e romantismo já característico de suas criações. Babados, golas altas e mangas bufantes evidenciam o estilo romântico da marca. A cartela de cores é formada pelo branco, off white, vermelho tomate, tons de azul, verde esmeralda, amarelo e preto. Destaque para as transparências, estampa de estrelas e pochetes, que apareceram em diversos desfiles.

desfile-spfwn43-11

LAB, a grife dos cantores Emicida e Fióti, encerrou o SPFW com um desfile emocionante e uma coleção cheia de atitude. Com um casting bem eclético, inclusive com modelos plus size a marca homenageou o samba com a coleção intitulada “Herança”. Como se um menino, skatista, que usa roupas da LAB e ouve rap herdasse um guarda-roupa de seu avô, um sambista dos anos 30, e começasse a misturar suas roupas street com roupas vintage. A LAB apostou em calças e casacos inspirados nos ternos dos malandros, tipo risca de giz. Moletons, malhas e tecidos esportivos também marcaram presença na passarela, assim como peças bordadas, que valorizam o trabalho artesanal.

Espero que vocês tenham gostado dessa resenha dos desfiles que pude conferir ao vivo no SPFW. Aproveito o post para agradecer as marcas, a minha assessoria e as assessorias das marcas que disponibilizaram os convites. Daqui a pouco sai outro post com as principais tendências dessa temporada!

Beijos,

assinatura-nova-blog

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*